Histórico

Casa da Câmara. A criação do Arquivo Público Municipal de Caetité remonta ao ano de 1995 por iniciativa de professores da UNEB, que apresentaram à Gerência de Arquivos Municipais do Arquivo Público da Bahia APB, em março de 1996, um projeto de criação de um arquivo público para a cidade de Caetité.

Posteriormente, em 19 de abril de 1996, foi convocada uma reunião na Câmara de Vereadores de Caetité, com a finalidade de discutir os termos de um convênio de parceria envolvendo a Prefeitura Municipal, o APB e a UNEB. Nessa reunião, onde estiveram presentes o então Prefeito Municipal, o Sr. Olimar Oliveira Rodrigues, a Secretária de Educação do Município, a Sra. Sônia Silveira, o Presidente da Câmara de Vereadores, o Sr. Francisco Nelson C. Neves, o representante da direção da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caetité, o professor Manoel Raimundo Alves, os representantes do APB, o Sr. Divaldo Alcântara e a Sra. Maria Solenar R. Nascimento, e os professores Paulo Henrique Duque Santos, Maria de Fátima Novaes Pires e Tânia Portugal, foram estabelecidos os primeiros encaminhamentos relativos à formalização do convênio, implantação do Arquivo e sua incorporação ao Sistema Estadual de Arquivos, possibilitando a Caetité tornar-se um dos vinte primeiros municípios baianos a adotar política pública de guarda e preservação de acervos.

Arquivo Público Municipal de Caetité. Os primeiros trabalhos envolveram a coleta de documentos textuais antigos que se encontravam armazenados em depósito público, a sua identificação, organização, higienização, acondicionamento em caixa-arquivo de papelão e estante de aço, catalogação e criação de banco de dados com software de gerenciamento de documentos. Essa fase do trabalho inicial contou com a participação de alunos da UNEB, que muito se dedicaram na organização inicial desses acervos: Divina Ledo, Lenir Teixeira e Venilza Amorim, dentre outros. Esses trabalhos iniciais foram assessorados pela Sra. Stela Dalva Teixeira Silva, representante técnica do APB. A inauguração do Arquivo ocorreu em 21 de fevereiro de 1997, com a realização de uma palestra sobre o significado da História Regional para a reconstituição da história do Brasil, proferida pelo professor Ruy Hermann Araújo Medeiros. Com a presença da comunidade local, participação de autoridades do município e representantes da UNEB, fundou-se, naquela data, o Arquivo Público Municipal, marco significativo, diante da singular importância daquela cidade do alto sertão para a história da Bahia entre os séculos XVIII e XIX. A antiga Casa de Câmara e Cadeia, uma edificação do século XIX, restaurada pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural - IPAC, entre os anos de 1994 e 1995, abriga os acervos do Arquivo Público de Caetité.

Acondicionamento do acervo em arquivos mecânicos deslizantes. A consolidação do Arquivo Público e o seu reconhecimento pela comunidade local são, certamente, um processo em construção. São eventos públicos e ações patrimoniais que tornam o Arquivo e seus acervos conhecidos pela comunidade, e nisto a coordenação acadêmica da UNEB tem se empenhado desde a sua criação. Foram realizadas mostras de fotografias (duas de Sebastião Salgado), exposição de quadros e obras de arte, palestras e saraus literários. O Arquivo Público de Caetité já se fez presente em vários festejos da padroeira local, a festa de Nossa Senhora de Santana. Por diversas vezes, foram levadas para a praça informações dos seus acervos, mostras de artesanato e culinária local, em meio a outras atividades destinadas à educação e integração com a comunidade regional.

Acondicionamento dos acervos. No ano de 2001, com a revitalização da sua sede, o Arquivo Público reabriu o seu salão nobre para eventos culturais e acadêmicos, demonstrando, mais uma vez, o seu propósito de firmar-se como instituição de formação cultural e intelectual, renegando a ideia de simples depósito de papéis antigos.

Em 08 de dezembro de 2003, realizou-se um dos eventos mais esperados desde a constituição do Arquivo: o lançamento em mídia digitalizada do jornal 'A Penna', primeiro jornal do alto sertão da Bahia, editado entre os anos de 1897-1943, e valiosa fonte para a reconstituição da memória e história dessa região dos sertões da Bahia. Essa ação eliminou o manuseio do documento original (sob o risco de dano), preservou o suporte de informação original e ampliou o acesso às informações do jornal.

Acondicionamento dos acervos. A parceria com o BNDES, através do Programa de Preservação de Acervos do ano de 2004, possibilitou a aquisição de arquivos mecânicos deslizantes, cuja ação melhorou as condições de acondicionamento dos acervos de documentos textuais e iconográficos. O Arquivo Público Municipal de Caetité conta com coordenação municipal, na pessoa da Sra. Rosália Junqueira Aguiar, desde o ano de 2009, e de uma coordenação acadêmica constituída pelos professores Paulo Henrique Duque Santos, Marcos Profeta Ribeiro e Maria de Fátima Novaes Pires. Essa equipe coordenadora responde pelo Arquivo em todas as instâncias, regional, estadual e nacionalmente.